23.5.12

Maman Est Chez Le Coiffeur

Pense num filme que aborda questões como rupturas, perdas e seus respectivos traumas, sem ser piegas ou apelativo. "Maman Est Chez Le Coiffeur" (Mamãe Foi ao Cabeleireiro) conta a história de uma jornalista e mãe dedicada que, ao descobrir a traição e homossexualidade do marido, resolve mudar-se do Canadá para a Inglaterra a fim de trabalhar como correspondente em uma emissora de TV em Londres e sobreviver à ruína de seu casamento. Uma mulher que teve a ousadia, a coragem de deixar para trás três filhos pequenos em pleno ano de 1966. Por outro lado, três crianças que se veem desamparadas, reagindo cada uma à sua maneira a dor do abandono da própria mãe - maior referência de amor e proteção - e ainda, um pai perdido entre a culpa e a responsabilidade de criar sozinho os filhos. 

Um filme sensível que nos leva a um bocado de reflexões: por que algumas crianças são roubadas de sua infância? por que precisam passar por situações tão dolorosas, difíceis de serem suportadas até mesmo por adultos? que força é essa que mantem as pessoas firmes mesmo quando têm a impressão de que lhes falta o chão? por que as relações são tão frágeis e o ser humano tão suscetível à mudanças bruscas e repentinas?  

O filme foi gravado em 2008, mas a caracterização do ambiente e dos personagens foi tão bem feita, que nos remete convincentemente aos anos 60. A fotografia é fantástica e valoriza ainda mais a história bem elaborada e interpretada por um elenco que merece aplausos. 



(curiosidade: Elie Dupuis, no vídeo, é uma das crianças do filme)

4 comentários:

Suzana Martins disse...

Ah... eu assisti esse filme e fiquei encantada...

Adoray!

Beijos linda

Rui Pascoal disse...

Por falar nisso... quinta-feira é dia de levar a minha mãe à cabeleireira.
:)

Ivan disse...

E se o negócio é falar de filme bom, com conteúdo, indico As Neves do Kilimanjaro, produção francesa, premiada em Cannes. Excelente.
Ah, e se prepare pra sair do cinema atrás de Tiramissu.. rs

Beijinhos.

Ivan.

PS: Provar que eu não sou um robô dá um trabalho desgraçado! rs

Liz - Como as Cerejas da Minha Janela... disse...

Minha nossa, quero ver! voce viu no cinema? ainda estará em cartaz?

Quero ver As neves do Kilimanjaro, tb! amo cinema francês.
bjs