20.3.12

As Flores de Plástico não Morrem




Por que insistimos em regar apáticas flores de plástico, deixando-as boiar em água parada, espremidas dentro de vasos horrendos que mais entristecem do que alegram nossa vida com seu inanimado existir? Por que perdemos tempo observando-as dia após dia, se há lá fora um jardim repleto de vida, irrigado pelo orvalho da madrugada, que dança ao som do vento, sob o aconchego do sol? 

Veja bem, meu bem, as flores de plástico não morrem porque também não vivem.

7 comentários:

Liza Leal disse...

Gosto qdo no meu canteiro, as rosas me surpreendem.. surgindo
c/cores inimitáveis.

=)
bjo Amélie

✿ chica disse...

Realmente, no máximo enfeitam, mas não vivem! beijos,chica

#Queen disse...

Não sei se me sinto triste (por insistir em regar minhas flores de plástico e por você vir e dizer que não adianta) ou feliz (por me ensinar que o verdadeiro jardim ainda está lá fora esperando por mim)...
Creio que ainda não me sinto nada.

Lindo texto,
adorei.

Sentimental ♥ disse...

logo, não precisam de atenção...

Fernanda Curcio e Leonardo Macedo disse...

Flores de plástico não possuem essência, logo, não precisam ser regadas, não precisam de amor.

Beijos,

Fernanda

Sabrina Davanzo disse...

Por quê? Também ainda não entendi por qual motivo fazemos isto. =/

Luzia Trindade disse...

Ótimo post, concordo. Não gosto de flores de plástico.