19.1.12

Da Serenidade

Pés descalços, acariciados pela areia úmida. Coração leve, flutuando no peito como pena desprendida do corpo de um pássaro. Cabelos dançando na suavidade da música entoada pela brisa trazida pelas ondas. Rosto afagado pelos fios felizes. Caminha lado a lado com o mar: confidente e testemunha desse momento. Sente-se tranquila. Nada de amargura ou remorso; sem pendências ou inquietações. Serena, faz uma reflexão breve sobre a vida. Nem tudo é alegria, tampouco tristeza. Somados os momentos bons e ruins, conclui que é preciso apreciar a doçura das pétalas, sem esquecer que os espinhos fazem parte da estrutura dessa flor chamada vida. O sol começa a se esconder por trás da linha do infinito, onde o céu encontra-se com o oceano. Sente-se irrigada pela umidade da areia que seus pés absorvem. E, descalça, despida de qualquer preocupação, caminha.

11 comentários:

Patricia Thomaz disse...

Tudo de ruim ficou lá atrás com as pegadas na areia. E cada novo passo um alívio. Muito leve e sereno.
beijinhos

Monalisa Macêdo. disse...

Que lindo.
É incrível como sempre ouço uma música que se encaixa nas tuas (doces) palavras.
Cabe à nós saber apreciar e cuidar do que é realmente bom. E verdadeiro. e lindo. Lindo, como as palavras que acabo de ler.
Beijooos

Antonio Machado disse...

Que poesia gostosa!
a brisa, os cabelos, tudo tão leve...
Um abraço

Gislãne Gonçalves disse...

E que caminhe sempre !

beijos
:)

AquilesMarchel disse...

caminha.....


nem tristeza é
é sossego
ah essa musica de fundo que beleza


...viajeiiiiiii

Fernanda Curcio e Leonardo Macedo disse...

Me senti leve lendo...é assim que deve ser a vida.Uma flor.E como toda flor tem espinhos, devemos aprender a interpretá-los como defesas da alma para livrar-nos dos caminhos tortuosos.Inalei com doçura.Beijos

Fernanda

pensandoemfamilia disse...

ssim é a vida, mas o ser humano rejeita os espinho e o sofrimento aumenta.
bjs

artebaiao disse...

Belo, belo,.... apenas belo!

Enigmático Byjotan disse...

O lado bom da vida tem que ser preservado a qualquer custo,somente desta maneira é que a vida valerá a pena.Um belo texto.beijo de bem com a vida.:-BYJOTAN

Suzana Martins disse...

Pés descalço, areia colorindo os pés, brisa imitando maresia, chuva num oceano de saudades. Despida de letras, entrego-me ao mar, numa sedução de sonhos que emerge da minha derme. Essa serinidade devaneia apenas a brisa trazida pelas ondas.

Lindo fragmento.

Estou de volta a blogosfera, linda!!

beijos e saudades

Liza Leal disse...

Tbm me sinto maravilhosamente irrigada, de pés descalços...
Na areia do mar.

lindo!
=)