9.3.11

Voyeurismo

Eu me importo com o que pensam as pessoas. Me interessa saber o que pensam da vida, o que vai em cada coração. Quais são os seus valores? Quais os seus sonhos e suas frustrações? Penso sempre sobre o que pensam as pessoas. E observo-as. 

Da varanda do quarto, sentada, passo algum tempo olhando as janelas dos prédios vizinhos. Janelas fechadas, mostrando por suas frestas a cor da solidão. Apartamentos vazios: faltam corpos ou falta amor? Bem, vazio é vazio, independente do que o faz ser assim. Luzes acesas, silhuetas por trás das cortinas. Apartamentos repletos, esbanjando harmonia, sobrando alegria - pelo menos aparentemente. Eu olho e imagino assim. Talvez veja dor onde não há, talvez a felicidade alheia seja fruto da minha imaginação.

Pelos meus olhos, observo e absorvo a vida alheia. Pode ser que do outro lado, alguém também faça o mesmo. Só que por esse prisma, o personagem sou eu. Como me veem os olhos daqueles que por mim são vistos?

4.3.11

Au Revoir

Ausente. Sente?

A quem faço falta, falto.

Volto em breve. Aqui.

Je vous promets!