26.8.11

Palco


PRIMEIRO ATO
Tô doente da alma, moribundo do coração.
Doendo da vida, crônico de solidão.

Tô infeliz até os dentes, descontente com tanto não.
Cabisbaixo, chutando lata, triste como um cão.

Tô chorando todo engano, pranteando decepção.
Transbordando oceano, inundado de desilusão.

(Curvo-me aos aplausos. Fecho a porta do camarim.
 Dispo-me de quem sou, deixo tudo atrás de mim)

SEGUNDO ATO
(Tô de volta à realidade.
 Caprichei na maquiagem,
 vesti-me de personagem)

Tô saudável, tô contente.
Feliz da vida, sorridente.

9 comentários:

Martini Bianco disse...

Natural em todas as pessoas que usam máscaras, para disfarçarem os seus reais estados de ânimo.

Muito bom

Beijos

Liza Leal disse...

Por mais sutil q seja, todos temos um momento em q a máscara é a única saída, afinal, quem não tem um lado meio artista!?... rs

=)

Monalisa Macêdo. disse...

Adorei.
Às vezes as máscaras são um jeito da gente de proteger da realidade dura, uma forma de se refugiar e tentar trazer um mundo melhor da fantasia pro real.

Rui Pascoal disse...

O pano já caiu... mas ainda estou aqui de pé a aplaudir.
Bravo!!!

Rebecca Leão disse...

Chaplin já dizia "smile", pois ao "mostrar que tu sorris, todo mundo irá dizer que és feliz!"... Bjs

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Me lembrou o maravilhoso, espetacular "As máscaras" de Menotti Del Picchia...

Lindíssimo, aplausos de pé...me encantou demais...

Nossa...beijos...

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Nossa, fantástico...amei demais...fico lendo e relendo...ai, acho que quero postar no meu blog...este espetáculo merece...pode? vou programar, se vc deixar...

Tudo o que é belo demais tem que ser obrigatoriamente compartilhado...

vc não imagina como eu gostei...San, que belo, belo, belo...

placco araujo disse...

realmente muito bonito, menina..

é realmente um prazer tê-la por perto..

um bom dia


edson

Larissa Beatriz disse...

Muito bom ! Todos nos sentimos assim em alguma area da vida.
Parabéns!