19.8.11

Effeuiller la Marguerite


Pobre margarida nas mãos da menina que brinca.
Bem-me-quer, mal-me-quer.
Desfaz-se ao chão, entregue à sua falta de sorte.
Completamente despida, esfacelada,
ouve os passos da pequena que se afasta.
Largada ao deus dará, assiste sua última pétala rodopiar:
m a l - m e - q u e r 

8 comentários:

Gislãne Gonçalves disse...

Olá

Amei teu blog e os textos!
Convido-te a visitar meu espaço.
Sigo-te

:)

Beijos

Rui Pascoal disse...

... então, o vento soprou forte e a pétala atravessou o oceano... eu só tive que a apanhar com muito cuidado e guardá-la para mim...
A margarida irá voltar a sorrir.
:)

Suzana Martins disse...

A margarida que dança nas mãos da criança desfa-se em sentimentos...

beijos linda

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Esta margarida não será a sua...

A ti restará a última pétala que lhe dirá: venho trazer-lhe com o vento e a brisa a pétala do bem-me-quer, pois voce bem a mereces...

beijos...

Anônimo disse...

Tu n'es pas la , la derniere pétale ne reviens pas...

Anônimo disse...

pas de feuilles.

Sonia Guzzi disse...

Olá, querida!
Era uma vez uma margarida...
Bjs, em divina amizade.
Sonia Guzzi

Dri disse...

Pobre menina que as pétalas da margarida brincam....

Linda, amei seu blog, seus textos.
Sigo-te aqui e no face.

beijo

Dri