28.6.11

Certezas

De tudo o que se vai, um pouco sempre fica. E ficou. Dentro de mim restaram certezas. Certeza de que nada é em vão ou por acaso. Certeza de que aprendemos o tempo todo - com as pessoas, as circunstâncias, nós mesmos. Certeza de que o amor nem sempre é sentido do mesmo jeitoCerteza de que a vida é uma caixa de surpresas, e estas, nem sempre agradáveis. Certeza de que as pessoas são diferentes do que a gente idealiza. Certeza de que o respeito é a base da convivência sadia e que sem verdade não há cumplicidade. Certeza de que uma mesma situação pode ser interpretada de várias formas. Certeza de que não há nada certo ou  absoluto. E, por fim, a certeza de que ninguém é de ninguém.

"Sem rancor, sem saudade, sem tristeza. Sem nenhum sentimento especial
a não ser a certeza de que, afinal, o tempo passou."
|Caio Fernando Abreu|

9 comentários:

Tarcila disse...

Só há uma certaza... a de que nada é certo.
=)

Anônimo disse...

Certeza que não existe o certo nem o errado, apenas a certeza do nosso eu....

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Muito bom esse niilismo...faz a gente repensar em tudo...em todos...é saudável pra mente...
Que bom que já chegou nas certezas (ou não) da vida...

Estava passeando por aqui, e vi que você já entrou para a casa dos "entas". Nossa, Amelinha, eu não te dava mais do que 25 anos...que bom , né? e já tem um filho de 17 ? nossa...
Agora acho que te entendo um pouco mais...na maturidade, vivemos tudo com mais intensidade...quando jovens, não nos apegamos muito à nada...mas também somos mais livres...
Mas não deixe nunca de sonhar e nem a sua criança interna adormecer...sempre acredite nos sonhos e na magia da vida, e que tudo que desejamos, tudo aquilo com que sonhamos, podem um dia se realizar...
Um dia lindo!
bjs bjs bjs, com carinho...

Liza Leal disse...

Comparo nossas vidas a um rio... cheio de surprezas. Sempre.

bj
bom dia!
=)

Eliete disse...

Certezas, às vezes reconfortadoras , às vezes decepcionantes.Às vezes muito relativas,mas todas elas mexem conosco.bjs

Leo disse...

Certezas, por vezes tão incertas que preferimos viver num mundo ilusório do que abrir os olhos, mal sabemos que a certeza de abrir os olhos faz a vida melhor, apesar dos pesares.

Folhetim Cultural disse...

Olá se recorda de mim? É o Magno Oliveira do Blog Folhetim Cultural, há muito tempo não lhe visito e eu também a ti, como anda seu blog? O Folhetim Cultural a cada dia crescendo. Agora temos espaço para contos, poesias, crônicas, charges e muitas outras coisas que espero que goste.

Blog: informativofolhetimcultural.blogspot.com
E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
o Blog agora tem até twitter: twitter.com/folhetimcultura ou @folhetimcultura

Espero por ti abraços!

Anônimo disse...

certeza que a saudade não mata, mas doi.

Martini Bianco disse...

Essa é a maior verdade. Por mais que tentemos nunca conhecemos realmente alguém, que as pessoas nunca são exatamente aquilo que pensamos e mais que isso nunca são nossas. Em jeito de sugestão te deixo com uma música do lado de cá que se chama "ninguém é de ninguém" http://www.youtube.com/watch?v=3Cvdfvk9JVE

Bjs