20.8.10

Dans Peu de Temps

Depois de vários dias de frio penetrante, o sol resolveu aquecer-nos. A sexta-feira está morna.
Está escurecendo. Na rua, as pessoas vêm e vão - parecem felizes. O final de semana chegou. 

Noite para divagar, perder-se num papo gostoso, num abraço sem pressa.
Noite para sonhar, para amar. Sorrir.

Mas, no meu coração há um vazio gigante. Uma dor oca me sufoca. Sinto que o ar me falta.
Ninguém é capaz de imaginar o que estou sentindo (e eu nem gostaria que isso fosse possível).

Mas, dans peu de temps...

A vida baterá em minha porta e perguntará: "posso entrar?"
Eu direi: "entre, por favor, entre."
E me voltarei para encará-la.
Frente a frente, nós duas: a vida e eu.

Dans peu de temps.

Em pouco tempo.

::


::

16 comentários:

a**A disse...

Hummm adorei a postagem...em especial:
---Eu direi: "entre, por favor, entre."
e me voltarei para encará-la. DE FRENTE.---

E vamo que vamo...o/\o
Beijosss e seja sempre bem vinda a minha "casa" rsss

Martini Bianco disse...

Uau... Estou sem palavras.. e quanto má pode ser uma dor oca? será bem melhor uma dor cheia, palpável...

A estação está mudando ai, os dias estão ficando maiores e depressa o sol brilhará em ti, trazendo com ele todas os ingredientes importantes para um melhor astral. É uma questão de tempo.

bjs distantes..

Franck disse...

Jonh Lennon tem uma frase linda que quero te deixar aqui para vc pensar: "A vida é aquilo que nos acontece enquanto estamos fazendo outros planos"...
Bjs e um bom fim de semana! Que o astral seja blues, blues...como o céu hoje aqui!

Anônimo disse...

corrija para bientot ou d'ici peu de temps/Quanto ao resto MGA o tempo dira.
beijao
ss

Letícia disse...

Lembre-se: tudo passa.
Beijos.

Valéria Sorohan disse...

A vida e suas faces, o que fazer? Senão viver!

BeijooO*

ROSANA VENTURA disse...

...um dia sól, outro tempestade
mas lembre-se que depois da tempestade sempre vem o arco iris!
bjossssssss

Bia Prado disse...

Queridaaaaaaaaaaa!!!
Vc é linda e jovem demais para tanta dor. De amor.
Deixa a vida entrar!
Convide-a.
Fique bem.
Beijão

Lila disse...

Ahhhhh querida....eu sei o que sente!
Bjs meus.

Lila disse...

Menina linda....tem presente lá no blog pra vc, espero que aceite.

Bjs meus !

Renata Fagundes disse...

pode ser que a vida esteja esperando o mesmo
que vc saia e a enfrente com coragem e doçura..

obrigada por sua presença em meu cantinho
estarei sempre pro aqui :D

beijos cintilantes

Abafa e Se Joga. disse...

Mesmo temendo, devemos sempre encarar a tal da vida de frente, toujours!

mim, que não sou Maricotinha disse...

Amélie,
Precisamos comer uma panela de brigadeiro para amenizar essa dor!!! rsrsrs
Saudade, beijos,

Patrícia Gonçalves disse...

Amélie, que coisa boa são seus versos!

Te sigo!

beijão!

j maria castanho disse...

as libações da espera meditam comigo


Com o destino traçado pelas vinte estrelas de Tique me disse Dice
As rosas, lírios, violetas, íris, jacintos e narcisos atapetam-lhe o chão
E cré com cré, lé com lé, nos losangos do centro do corpo humano
Coração e ventre nos vértices se unem, ondeiam, oscilam e dançam
Com precisão imaculada o fumo serpenteia a evolar-se das fornalhas
Enquanto na cella espero instruções da Mestra Sacerdotisa contemplo
É maior o meu respeito se na libação executo o mister da concentração
Recatado estou perante ti, ó divina feita mulher por cuja sede me meço
E teço exemplo sem ilusão mas que com a arte exímia exerço e adestro
Que a honra seja trinta e seis vezes superior à de qualquer outro escriba
Pois servir-te é merecer teu afago e desfrutar de tua vista e fala e sentir
E estar enlevado na partilha do fumo celeste pelo mesmo bocal leonino
E saber a luz que há na voz e escutar teu canto pelas minhas argilas lido
Minhas placas de alabastro esculpidas no estilete do rigor de tua ordem.

Quando a Lua cheia de teu nome transforma o sonho em vida real o rio
Devolve ao céu a tua silhueta de alambre e ambrosia que nele mais és
Mais ondulas e abrilhantas espigas e cintilas nas verdes folhas da hera
Essa que teceu a rede onde foram aprisionados os titãs primitivos infiéis
Masmorra dos descrentes a quem nunca será dada honra de argonauta
Nunca poderão negociar nem viajar entre o céu e a terra nem venerar-Te
Mesmo que suas raízes nasçam nos témenos que sejam tua propriedade
Pois nunca delas a flor brotará nem o ciciado murmúrio das ocarinas
Eflúvios chamamentos suspirados entre sonhos do mel apreciado bebo
Sorvo lânguido do bocal sobre o qual antes teus lábios disseram prece
E nada fica agora que obstrua a cristalina seiva do ser no libado vigor.

Estrela Inanna ladeia teu sucumbir perante a luz de Arina se amanhece
Porém não há batalhas divinas mas respeito e contemplação ordenada
Que quando Arina elucida todas e todos, ar, fogo, terra, água obedece
E lúcida é a alma que sabe e reconhece ser seu mister e a quem pertence
A voz rasga os véus e sopra vontades aos ouvidos acautelados e fiéis
Que ao oficio de dizer é inerente o acto se a fala no nome apenas se exala
E inala Inanna os eflúvios do meu pote enquanto espero se Shara chama.

A chama que é Shara e aquece o Lar pernoita também quando Arina dita
Sua cor aos quatro cantos do mundo pois o canto é luz de quem acredita.

Sentimental ♥ disse...

a vida é cheia de momentos e fases, mas qndo ela se apresenta, o melhor a fazer é encarar e ver no q dá.
bjs