8.7.10

Você Me Vira a Cabeça

Tento te convencer. Você diz esqueça.
Digo não, jamais. Você diz 'me vença'.

Tropeço em minha fraqueza.
Você se alicerça em tua certeza.

Caio em teus braços. Você me fecha em seu abraço.
Eu me rendo, abro o peito. Fecho os olhos, te enlaço.

Você sussurra: tu me tournes la tête.
Eu repito: tu me tournes la tête aussi.

Tu me fais tourner la tête
(você me faz girar a cabeça)

Je suis toujours à la fête
(estou sempre em festa)

Quand tu me tiens dans tes bras
(Quando você me tem em teus braços)

|Edith Piaf|


___________________________
Almoço: très bon!
"Le Petit Nicolas": c'est formidable!
Tarde completa: c'est jeudi, 8/7/10.

28 comentários:

Rafaela Bento disse...

Que lindo menina-mulher! ;]

"Tropeço em minha fraqueza,
caio em teus braços"

;*

Dani disse...

e como vira... ai, ai

beijo, querida!

(adoro sua trilha sonora!)

Martini Bianco disse...

Trés jolie, cherrie Amelie.

Deve ter sido uma tarde memorável.

Helcio Maia disse...

Tropecei na fortaleza dessa sinnceridade tão comovente, num texto eminentemente suave. Ainda por cima, Piaf!!
Mon coeur divague!!
Bonjour, aussi!!

Bia Prado disse...

É bom virar a cabeça, né?
Pelo menos te deixa feliz...
Beijos!

a**A disse...

"Tropeço em minha fraqueza.
Você se firma em tua certeza."

**Perfeito...

Amei o post ")Pra variar hehe "P

To meio ausente...regando a raiz pra florescer saudável..., mas em breve tô na área rsss obg pelos comentários em meu blog ")
Beijoss =*

j maria castanho disse...

Sujeição Ante o Resultado Acontecido...

Ao luar, entre as diatribes da luz
Das coisas, das sombras esmaecidas
Recordo agora, havia biliões de rosas
Vermelhas, quase todas se tida jus
Houvesse no dizer, caídas, esquecidas
Entre as estantes, sobre as mesas
Acocoradas aos cantos, acetinadas
Folhas entre as demais páginas
Espelhando os sentidos nos sentires
Embora eu, ao ver-te assim repartida
Clonada pela refracção das lágrimas
Te fizesse em absoluto reflectida,
Cuidasse serem cada qual tu apenas
Noutra forma desigual às pequenas
Surgidas dos canteiros e jardins
Dos beirais, esquinas, nuvens, sebes
Alucinação de louco entre querubins
Não destrinçando minha sede das sedes
Que todas as flores, lírios, jasmins
Orquídeas, hortênsias, cravos, alecrins
Estevas, afinal, que todas por igual têm
Achando a minha maior, mais imperiosa
Como nenhuma outra, e que mais ninguém
Tivera já, ao ver em tudo e todos só rosas
Rosas, e rosas, e rosas de pétalas acesas
Simplesmente porque tu as foste ou és
Entre as estantes, os arcos, as devesas
Sentada, caminhando, sobre cadeiras
Nas muralhas, claustros e seteiras
Arrumando o carro na berma da estrada
Descendo a rua ou subindo a escada
Entrando na sala de aula na tua escola
Vindo do café, lendo revistas ou tão-só
Navegando na Net e ouvindo meu dó
Pedido não trinado por qualquer viola
Mas antes no desmedido obstinado
De um coitado ansiando pela esmola
Da tua atenção, do teu tempo e olhar
Insistindo, porém insistido no rimado
Exagero requerido de poemas a dançar
Numa roda de dizeres repetidos sem fim
Na crença tida que ao ver-te em todo lado
Tu venhas um dia, enfim, a reparar em mim.

Todavia acordado, até no quotidiano viver
Durante as tarefas como nas conversas tidas
Ao fazer as compras nos hipermercados
Quando pelo autocarro espero, subo, desço
Escrevo recados, de manhã ou ao entardecer
Avalio as escritas passadas já imprimidas
Descoso as entretelas de filmes visados
Arrumo a casa, lavo a louça, e no avesso
De mim me viro para corar o íntimo ser,
Então, continuo a ver rosas onde rosas via
Flores atrás de flores a cada hora, cada dia
Segundo a segundo a cada e todo o instante
Feitas de jade, porcelana, diamante
Esmeraldas, quartzos, pérolas, rubis
Quer nas velas sobre o oceano navegante
Quer nas serras e descampados primaveris.

Estendidas sobre toalhas das praias e areais
Na relva das piscinas campestres e barragens
Nos rios, tombadilhos de barcos, nas carruagens
Do Metro, discotecas, esplanadas, jornais
E revistas, em fotos e quadros e textos originais
De poetas inéditos como dos clássicos antigos
Que mais não escreveram do que palimpsestos
Dos meus, envelhecendo-lhe eras e contextos
Dando-lhe atmosferas idas e velhos artigos
Ou arcaicas cantigas de amigos e madrigais.

Pois bem: a essas flores, oriundas das cascatas
Das ondas, numa vaga de espuma e incenso
Tão vivazes, ríspidas, vagabundas e insensatas
Amei-as todas, por causa de uma, em que penso!

gabyshiffer disse...

Seu blog é como cereja madura
vou te seguir adorei
Beijos e boa sexta

Wanderley Elian Lima disse...

Bom quando tudo da certo, não é mesmo?
Bjs

Franck disse...

Hum... é o decifra-me ou te devoro? espero que ambos se devorem, no melhor sentido...
Um bom fim de semana!

Patricia s2 disse...

como é bom sentir aquele friozinho na barriga...ai ai

Valéria Sorohan disse...

Fiquei encantada!
Estou de casa nova e espero sua visita, meu endereço agora é http://rasurassobreviventes.blogspot.com

BeijooOs te aguardo!

ROSANA VENTURA disse...

...porque ás vezes é tão bom tropeçar em nossas fraquesas...!
Lindoooooooo!
bjossssss

Sentimental ♥ disse...

ficar de cabeça 'virada' é bom sinal... :)
bjs

meus instantes e momentos disse...

que bom vir aqui.
Tenha um final de semana feliz.
Maurizio

ॐ Camila Anastasi disse...

Nossa que belezuraaa!
Adoreiii
Estou sempre em festa
quando vc me tem em teus braços!

bom final de semana!

Juci Barros disse...

E que delícia é viver momentos assim...
Beijos.

Grasi disse...

"estou sempre em festa quando você me tem em teus braços"
Coisa mais linnnnda!
Lindona, um domingo super iluminado.

Monday disse...

Cada maluquice que não se faz por um beijinho, não?

Paulo disse...

Amélie,
Decidamente, razão e emoção não tem relação... Até rimou...rsrs.
Quando a emoção é mais forte, a cabeça vira, mesmo....rsrs.
Mas que uma emoção é bom, isso é bom, mesmo!!! Melhor quando vira a cabeça...rsrs.
Valeu pelo texto!!!
Beijo pra ti, Guria.

Letícia disse...

Tão bom ter a cabeça virada...

A minha anda apenas vagando por aí.

Nathália disse...

Eu sempre fico mudando a cara do blog porque eu enjoo fácil,fazer o que? Teve um teste na aula de mmúsica pra ver quem conseguiu tocar a música na flauta, eu fui a única que conseguiu tocar toda! Também é coincidência eu ser a última menina da chamada ( foi em ordem de chamada).

Beijos!

Abafa e Se Joga. disse...

hum...inspirador! Beijos da comadre.

Camila Chaves disse...

Sempre lindo, Amelie!
Beijooo

A.S. disse...

Nada detém a volupia, o tesão, o desejo!...

BeijOOO
AL

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Poupée,

São palavras assim que dengam o amor.

Que lindo!

Beijo imenso, menina querida.

Rebeca

-

Lilly disse...

Je l'aime aussi, "Le Petit Nicolas". Super! ;)

MagicWoman disse...

O teu blog, continua lindo.

kiss