9.3.10

SANs Défense

Mais um dia se foi.

Hoje, posso dizer depois de pouco mais de duas tensas semanas, foi o dia em que consegui relaxar um pouco e driblar minha dor. Saí da toca. Pus a cara na rua. Senti o sol no rosto. Fui nadar.

Foi bom? Não. Confesso que ainda não. Fiz tudo isso sozinha, me sentindo muito, muito só. Mas posso garantir que foi melhor do que se tivesse, mais uma vez, me castigado na clausura do quarto.

Sabe, é muito difícil reagir em algumas situações. Parece muitas vezes que os problemas são maiores que nós e, assim, nos deixamos sucumbir - meio que por auto piedade, meio que por falta de força mesmo. Sans défense.

Bem, gostaria de pular essa etapa da minha vida, mas não posso. "A César o que é de César."

Dizem que os problemas existem para nos lapidar, para fazer-nos fortes e finalmente vencedores. Espero realmente que isso seja verdade, pois, caso contrário, ficaria muito chateada se chegasse à conclusão de que eles servem apenas para nos tirar o brilho do olhar, nos fazer envelhecer e morrer mais rápido.

Nenhum comentário: