27.3.10

Ma Poupée

Tenho três gatas. Duas SRD e uma Maine Coon.

A mais velha é a Mel. Preta, de olhos e orelhas grandes, feiiinha - a típica vira-lata. Achei na rua, numa noite quando voltada da academia. Miava desesperadamente, enfiada no meio do mato. Não pensei duas vezes, resgatei a pequena assustada. Isso faz quase oito anos.

A do meio é a Amélie - ganhou esse nome em homenagem à personagem de Audrey Tautou, no filme "Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulan" (meu predileto). Também vira-lata, mas diferente da Mel, é linda! Ela é cinza e gordinha. Não gosta de colo, nem de muito carinho. Tem personalidade forte e é de poucos amigos.

A Poupée é a caçulinha da casa e também a menina dos meus olhos. Ganhei dele, de presente de aniversário, em janeiro deste ano. Eu queria um Persa, mas ele escolheu Maine Coon. Fiquei 'meio assim', mas depois que a vi nesta foto, no site do gatil onde foi comprada, me apaixonei e não tive dúvidas: é ela! Extremamente dócil, companheira, adora colo e carinho. Tem um miado baixinho e dengoso. Onde estou, ela está. É minha boneca! Um parênteses: uma vez no carro, parados no trânsito, ele me disse olhando nos olhos: "ma poupée"... Meu Deus, quanta saudade eu sinto! Bem, antes mesmo de chegar em casa, seu nome já estava escolhido. E o que é melhor: é a cara e focinho dela!

Minha paixão pelos bichos vem desde cedo. Por causa deles, aprontei várias quando criança. Deixava minha tia (morei com ela por muitos anos - é minha segunda mãe) de cabelo em pé. Levava gato, cachorro e até pombo que achava na rua para casa. Era uma briga, mas eu vencia quase sempre e o animalzinho abandonado acabava ganhando um lar.

Nenhum comentário: